Sobre o Líquor

Mais conhecido como líquor ou LCR, o líquido cefalorraquiano é límpido e incolor. Ele está presente dentro do canal vertebral e que envolve o cérebro. O LCR age como uma proteção mecânica e como lubrificante, protegendo o sistema nervoso central de impactos que podem causa qualquer tipo de dano. Também é responsável pelo transporte de metabolitos, neurotransmissores e nutrientes, ajudando na defesa imunitária do sistema nervoso central.

Muitos autores especializados consideram o LCR como a “janela do cérebro”, pelo fato de sua análise ser indicada para o diagnóstico de doenças que prejudicam direta ou indiretamente as estruturas relacionadas ao líquido. É muito útil, principalmente, na investigação e acompanhamento de doenças infecciosas, inflamatórias, degenerativas ou neoplásicas, como meningite e esclerose múltipla etc. A punção liquórica também ajuda no tratamento de algumas patologias por meio de aplicação de medicamento direto no espaço subaracnóide, ou com a drenagem do LCR, chamada de punção de drenagem ou de alívio.

As características do líquor pode mudar de acordo com a doença sofrida pelo paciente. Opalescente ou turva, dependendo da presença ou aumento do número de bactérias, fungos, hemácias e leucócitos. Bilirrubina (substância amarelada, presente na bile), hemácias, hemoglobina, leucócitos ou proteínas podem alterar a cor do líquido.

Para que o paciente não sinta nenhum desconforto durante a punção, médicos especialistas devem assumir a coleta, além de coordenar a aplicação de técnicas adequadas de análise e investigação laboratorial.